quinta-feira, 27 de julho de 2017













Levantamento do Ministério do Desenvolvimento
Social (MDS) aponta que, após realizar 200 mil 
perícias, o governo decidiu cancelar 180 mil 
auxílios-doença. Com isso, diz a pasta, será possível 
economizar R$ 2,6 bilhões por ano.
O resultado, enviado abrange os cancelamentos 
até 14 de julho. O pente-fino do ministério focou 
naqueles beneficiários que há mais de dois anos 
não passavam por revisão no INSS, o que é obrigatório.
Previsto em lei, o auxílio-doença estabelece o repasse 
de dinheiro ao segurado do INSS que, por uma doença ou acidente, fica temporariamente incapaz de trabalhar. 
Para receber os recursos, a pessoa precisa apresentar 
laudo médico e passar por revisão.
O pente-fino nos benefícios pagos pelo INSS, previsto 
em medida provisória, começou em 2016, mas foi 
suspenso porque o Congresso não aprovou a MP a 
tempo. O governo, então, editou uma nova MP, e a 








Perícias= De acordo com o Ministério do Desenvolvimento

 Social, foram pagos em julho 1,3 milhão de auxílios-doença. 

O objetivo da pasta é revisar 530,1 mil.

Até o último dia 14 de julho, diz o governo, foram 

feitas 199,9 mil perícias e, segundo o secretário-executivo 

do MDS, Alberto Beltrame, a meta é concluir o pente-fino 

até setembro deste ano.

Dos 180,2 mil auxílios-doença cancelados:
159.964 foram cortados após perícia
20.304 foram cancelados em razão do não 
agendamento ou não comparecimento do beneficiário 
ao exame
"Constatou-se que a pessoa já tinha recuperado 
condições de voltar ao trabalho, ou seja, não persistia a incapacidade que deu motivo ao benefício, lembrando 
que recebê-lo nesta condição é indevido e causa 
prejuízo aos contribuintes", disse Beltrame.






Beltrame explicou que o INSS vai usar na 
aposentadoria por invalidez o mesmo modelo do 
auxílio-doença para convocar as pessoas que 
precisam ser examinadas pelos peritos. Elas 
receberão carta com aviso de recebimento. Depois 
de notificadas, terão cinco dias úteis para ligar no 
135 e agendar a perícia.
O pente-fino nas aposentadorias por invalidez será 
realizado em quem tem menos de 60 anos e está há 
dois anos ou mais sem passar por perícia.
Ficarão de fora da medida os maiores de 60 anos e 
quem tem 55 anos e já recebe o benefício há pelo 
menos 15 anos.






Fonte: G1

0 comentários:

Postar um comentário