segunda-feira, 19 de junho de 2017

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a fabricação, distribuição, comercialização e divulgação de lotes de seis marcas de alimentos infantis. As resoluções foram publicadas no Diário Oficial da União desta segunda-feira (19), devido à ausência de registro sanitário obrigatório. De acordo com a Anvisa, "os alimentos de transição são aqueles industrializados para uso direto ou empregados em preparo caseiro, utilizados como complemento do leite materno ou de leites modificados introduzidos na alimentação de lactentes (de zero a 12 meses de idade incompletos) e crianças de primeira infância (de 12 meses a 3 anos de idade) para adaptação progressiva aos alimentos comuns e, portanto, são alimentos infantis de registro sanitário obrigatório". Foram proibidos todos os lotes dos produtos cremes, papinhas, purês e pratos prontos (fases 1, 2, 3 e júnior), da marca Pratinho Cheio; Papinhas Fase 1 (+6 meses) e Papinhas Fase 2 (+9 meses), da marca Gourmetzinho; papinhas e comidinhas, da marca Hortinha; sopas sem pedaços (a partir do 6º mês), sopas com pedaços (a partir do 9º mês) e comidinhas (a partir de 1 ano), da marca Prapapá; sopinhas, comidinhas e lanchinhos, da marca Semente do Bem Alimentação Infantil Ltda.; e Papita 1ª Fase (a partir de 6 meses), 2ª Fase (a partir de 8 meses) e sobremesas (a partir de 6 meses), fabricados por Papitta Alimentação Ltda.






Fonte: Bahianoticias

0 comentários:

Postar um comentário