segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Pesquisa realizada pela empresa Analítica, de Salvador, entre os dias 22 a 26 de agosto, revelou o índice de satisfação das pessoas que vivem em Ilhéus.  A pergunta direcionada aos entrevistados foi a seguinte: "O Senhor (Sra.) diria que sente com relação à vida que vem levando hoje em dia, aqui em Ilhéus". O resultado indicou que 63% estão satisfeitos, 6% muito satisfeitos, 10% mais ou menos satisfeitos, 16% insatisfeitos e 5% muito insatisfeitos.

Na avaliação do prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, embora a questão não tenha conotação eleitoral, hoje o ilheense tem noção que a cidade melhorou e avançou em muitas áreas da administração pública. Ele faz uma comparação com o ambiente que a cidade tinha no mesmo período de eleição municipal, em 2012. "A pesquisa realizada no final de agosto mostrou que 79% da população está satisfeita, de alguma forma, com a cidade. Se essa mesma pergunta fosse feita há quatro anos, o resultado seria bem diferente. Ilhéus hoje, melhorou, sim, substancialmente.

Avançamos nos setores de pavimentação,  iluminação,  coleta de lixo, educação, saúde, e outros. É lógico que enfrentamos problemas, mas a máquina pública funciona e atende a população", colocou.

"O ilheense conhece essa realidade e sabe como a cidade se encontrava em 2013. Estava um caos. Assumi o governo com 37 milhões de dívidas de salário. Levamos um ano e oito meses para regularizar a situação. Só em 2015 conseguimos controlar e equilibrar a gestão. Ilhéus estava uma cidade sem autoestima. 

Essa pesquisa revela que a cidade avançou. Tivemos muito trabalho para organizar. Só para lembrar, entre 2005 até 2012, todas as contas do município foram rejeitadas. Foi muito difícil. Essa realidade custou dois anos de dificuldades", declarou o prefeito em entrevista à Rádio Santa Cruz.

Com quatro mandatos à frente do Executivo Municipal, o prefeito Jabes Ribeiro admite que o maior desafio enfrentado nessa trajetória foi na atual administração. "Nosso desafio foi reorganizar as contas do município e recuperar os serviços públicos essenciais. Em 2015, conseguimos avançar, junto com o vice-prefeito Cacá. Assumimos isso com muita responsabilidade. 

Fizemos mutirões de serviços. A questão do lixo, por exemplo, no fundo dos Correios, no Malhado e no Caic, na Urbis, eram pontos de críticos. Trabalhamos para acabar com isso. Melhoramos a cidade em diversos setores. Para construir são anos. Para destruir e rápido.  E foi isso que a gestão passada fez. Eles criticam o mal que eles mesmos  fizeram à cidade.  Fecharam a clínica odontológica Napoleão Marques, deixaram acabar com a Maternidade Santa Isabel e diversas unidades de saúde", enfatizou.

Jabes também comentou os avanços que o município conquistou na área de educação. "Além do reforço pedagógico, realizamos um trabalho amplo de recuperação física de várias unidades escolares, na sede e no interior. Esses fatores contribuíram com o aprendizado, e nós alcançamos a meta do IDEB. Avançamos quase 20 por cento no índice de avaliações da 4ª série/5º ano e 15.7 por cento na 8ª série/9ºano. Isso é resultado de muito trabalho, esforço, apesar das dificuldades encontradas na área de educação, que se recebemos sucateada", relatou.

Ranking – Ribeiro comentou também sobre ranking de eficiência dos municípios nas áreas de saúde, saneamento e educação, que revelou a cidade com o índice de pouco eficiente, cujos dados de referência são da gestão anterior. "Não posso ficar quieto ouvindo mentiras da oposição. Os mesmos que estavam no governo e foram responsáveis por esses índices. Precisamos melhorar a saúde, nós sabemos que o maior problema enfrentado pelo País é essa questão. Quando fui analisar o resultado desse levantamento, realizado pela Folha de São Paulo, detectei que os dados eram de 2010 até o início de 2013. Na época, Newton Lima era prefeito e Mário Alexandre, vice. Estavam no governo. É preciso colocar a verdade para as pessoas", concluiu.


Secretaria de Comunicação Social – Secom

0 comentários:

Postar um comentário