sexta-feira, 4 de agosto de 2017












O cantor, compositor e músico carioca Luiz Carlos 
dos Santos, o Luiz Melodia, morreu, na manhã desta
sexta-feira (4), no Rio de Janeiro. Aos 66 anos, o 
cantor lutava contra um câncer que atacou a medula 
óssea. Ele morreu durante esta madrugada, por volta 
das 5h.
A informação foi confirmada ao colunista Mauro Ferreira
por Renato Piau, guitarrista que tocou com Melodia, 
após ligação para a família do artista. Melodia chegou 
a fazer um transplante de medula óssea e resistiu ao procedimento, mas não vinha respondendo bem à
quimioterapia.
O compositor foi internado no dia 28 de março no 
Hospital Quinta D’Or, na Zona Norte, para fazer sessões 
de quimioterapia no combate a um mieloma múltiplo (tipo 
de câncer de sangue), diagnosticado meses antes.
Segundo boletim médico divulgado na época pela
produção do músico, com o início da quimioterapia, 
houve uma baixa glicêmica e acidez sanguínea. Por 
isso, o cantor permaneceu internado no CTI. O câncer 
voltou e o estado de saúde de Melodia se agravou 
bastante nesta quinta-feira (3).
“Muito triste acordar com uma notícia dessa. Essa 
semana morreram grandes. Morreu Guaraci do Violão, 
da Velha Guarda do Império. O Brasil do jeito que está, 
ainda perder um Luiz Melodia, é uma coisa muito ruim”, 
lamentou o amigo Zeca Pagodinho.
Guto França, que foi produtor de Luiz Melodia por 
35 anos, lembrou no hospital, nesta manhã, do último 
show do músico. "O último show que fizemos foi em 
Jaú, dia 9 de julho do ano passado. Ele passou mal. 
Ao chegar no Rio, ele fez exames com o médico e foi diagnosticado o câncer de medula", explicou França.
O amigo lembrou da memória de Melodia com carinho, 
contando que depois de passar por um autotransplante,
ele estava animado, com um projeto de um novo CD. 
Segundo ele, o cantor e compositor deixou um DVD inédito.
 "Era uma pessoa doce, amiga, que sempre tratou a 
todos com muito carinho. Mas, infelizmente, Deus 
chamou o poeta", destacou o produtor.
Luiz Melodia é definido pelos amigos como um 
apaixonado pelo Vasco e pela Estácio de Sá, com um
 carinho especial pela Bahia.
Após a notícia da morte do cantor, a diretoria da escola 
de samba Estácio de Sá decidiu se reunir, ainda na 
manhã desta sexta-feira, para decidir como será a 
agenda na quadra da escola ao longo do dia. De 
acordo com a assessoria de imprensa da escola, o 
velório do cantor será realizado na quadra da agremiação. 
O sepultamento acontecerá no sábado(5), no Cemitério 
do Catumbi.
Luiz Melodia nasceu no Morro do São Carlos, no Estácio, 
Região Central do Rio. Sua ligação afetiva com o berço 
foi eternizada por ele em uma de suas mais célebres
canções, “Estácio, Holly Estácio”, na qual determinava 
que “se alguém quer matar-me de amor, que me mate 
no Estácio”.
O músico nasceu em 7 de janeiro de 1951 no Morro 
do Estácio, no Rio de Janeiro. Filho único, começou 
sua caminhada na música após ver seu pai tocando 
em casa. O menino Luiz Carlos dos Santos cresceu 
jogando bola na favela e dançando nas rodas com os 
músicos da escola de samba Estácio de Sá.As irmãs 
dele gostavam quando chamavam o garoto de Melodia. 
Era o apelido do pai, Oswaldo, estivador e compositor.
A família sonhava em ver o único filho homem formado 
numa faculdade. Mas a paixão pela música começou 
cedo, em casa.
"A primeira influência que eu tive foi do meu pai, meu 
pai era um boêmio da época. E já compunha, já tocava. 
Os primeiros acordes aprendi com o meu pai. Quer dizer,
a referência musical veio mesmo do Seu Oswaldo, 
Oswaldo Melodia", disse o cantor e compositor em 
entrevista ao Bom Dia Rio.
Compositor de 'Pérola Negera' e outros grandes
 sucessos=O cantor abandonou o ginásio (atual 
ensino fundamental) e passou a adolescência 
compondo e tocando sucessos da Jovem Guarda e 
Bossa Nova, além de mergulhar no mundo do samba, 
o que gerou um estilo musical diferenciado e único 
do artista.
Em 1972, os amigos poetas Wally Salomão e Torquato 
Neto levaram uma composição de Luiz Melodia para 
Gal Costa. Ela adorou, gravou e a música virou um 
sucesso. No palco, a música foi cantada ao lado de
Cássia Eller.











































Ao Fantástico, Luiz Melodia recordou a composição.
 “Pérola Negra é uma mulher. Mas tinha composto 
pra uma menina que eu namorava na época em que 
estava servindo o Exército. A mulher brasileira é uma
 fonte, posso dizer assim, de inspiração em cinquenta 
por cento das minhas composições”, disse.
Em seguida, Maria Bethânia interpretou “Estácio Holly 
Estácio”. Foi nessa época que Luiz Carlos dos Santos
 assumiu o Melodia no nome.
Na década de 1980, lançou diversos álbuns e fez 
apresentações em festivais na França e na Suíça. 
Em 2003, Luiz Melodia gravou um disco ao vivo com
 participações especiais de Zeca Pagodinho, Zezé 
Motta, Luciana Mello entre outros artistas.
Em 2017, Luiz Melodia lançou “Zerima”, seu último 
disco. O álbum veio após 13 anos sem o artista lançar
 uma faixa inédita e contou com participação da 
cantora Céu.
As irmãs dele gostavam quando chamavam o garoto de Melodia. Era o apelido do pai, Oswaldo, estivador e compositor. A família sonhava em ver o único filho homem formado numa faculdade. Mas a paixão pela música começou cedo, em casa.
"A primeira influência que eu tive foi do meu pai, meu pai era um boêmio da época. E já compunha, já tocava. Os primeiros acordes aprendi com o meu pai. Quer dizer, a referência musical veio mesmo do Seu Oswaldo, Oswaldo Melodia", disse o cantor e compositor em entrevista ao Bom Dia Rio.

Compositor de 'Pérola Negera' e outros grandes sucessos

O cantor abandonou o ginásio (atual ensino fundamental) e passou a adolescência compondo e tocando sucessos da Jovem Guarda e Bossa Nova, além de mergulhar no mundo do samba, o que gerou um estilo musical diferenciado e único do artista.
Em 1972, os amigos poetas Wally Salomão e Torquato Neto levaram uma composição de Luiz Melodia para Gal Costa. Ela adorou, gravou e a música virou um sucesso. No palco, a música foi cantada ao lado de Cássia Eller.
Ao Fantástico, Luiz Melodia recordou a composição. “Pérola Negra é uma mulher. Mas tinha composto pra uma menina que eu namorava na época em que estava servindo o Exército. A mulher brasileira é uma fonte, posso dizer assim, de inspiração em cinquenta por cento das minhas composições”, disse.
Em seguida, Maria Bethânia interpretou “Estácio Holly Estácio”. Foi nessa época que Luiz Carlos dos Santos assumiu o Melodia no nome.







0 comentários:

Postar um comentário