terça-feira, 18 de outubro de 2016

A Campanha Outubro Rosa, cuja proposta é alertar a sociedade e as mulheres a partir dos 40 anos para a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, terá seu ponto alto em Ilhéus no próximo dia 27. Além de disponibilizar uma série de atividades durante todo o mês nas unidades de atendimento do município, neste dia, a Secretaria de Saúde (Sesau) promoverá um grande mutirão, das 8 às 17 horas, na          Praça J.J. Seabra, centro da cidade, em frente à Câmara de Vereadores.

Segundo Bárbara Christian, coordenadora do Departamento de Atenção Básica de Ilhéus, durante o dia 27, dezenas de profissionais vão realizar atividades como triagem (classificação de risco das mulheres), exame clínico das mamas (rastreamento feito por enfermeiras), exame clinico das mamas (casos suspeitos aferidos por mastologistas), orientação nutricional (alimentos que previnem o câncer) e serviços estéticos, como limpeza de pele, maquiagem, corte de cabelo, entre outras.

Mama -A campanha Outubro Rosa surgiu em 1990, na primeira Corrida pela Cura, realizada nos Estados Unidos. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama, visando estimular uma maior participação da população, empresas e entidades. De acordo com os especialistas, o câncer de mama é a causa mais frequente de morte por esse tipo de mal nas mulheres, embora existam meios de detecção precoce que apresentam boa eficiência, a exemplo do exame clínico, do autoexame, da mamografia e da ultrassonografia.

Bárbara Christian lembra que não existe uma causa única para o câncer de mama, que é mais comum em mulheres (apenas 1% dos casos são diagnosticados em homens) e tem na idade um dos mais importantes fatores de risco para a doença. Cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos. O câncer de mama de caráter genético/hereditário corresponde a apenas 5% a 10% dos casos da doença.

Além disso, diversos fatores estão relacionados ao câncer de mama: fatores ambientais e comportamentais (obesidade após a menopausa, sedentarismo, consumo excessivo de bebida alcoólica, exposição frequente a radiações ionizantes); fatores da história reprodutiva e hormonal (primeira menstruação antes de 12 anos, não ter tido filhos, primeira gravidez após os 30 anos e não ter amamentado); e, por fim, fatores genéticos e hereditários (história familiar de câncer de ovário, casos de câncer de mama na família e alteração genética.

A prevenção do câncer de mama pode ser dividida em primária e secundária: a primeira envolve a adoção de hábitos saudáveis e a segunda diz respeito, primordialmente, a realização de exames de rastreamento com o objetivo de diagnosticar o câncer em estágio precoce.

Secretaria de Comunicação Social – Secom.

0 comentários:

Postar um comentário